Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Início
Início do conteúdo da página
CULTURA

Professor participa de debate do Circo Navegador sobre o documentário Jango

Publicado: Sexta, 23 de Abril de 2021, 14h45 | Última atualização em Sexta, 23 de Abril de 2021, 14h45

Em 20 de abril de 2021, terça-feira, a partir das 20h00, o professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira, docente do campus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), participou de um debate sobre o documentário “Jango”, obra que aborda a trajetória do ex-presidente João Goulart, conhecido como “Jango”, que foi derrubado pelo golpe militar de 1964. Este debate promovido de modo remoto pelo “Circo Navegador” e transmitido pelo YouTube, foi mediado pelo produtor cultural Rodrigo Pereira e contou também com a participação dos jornalistas José Américo Câmera e Priscila Siqueira.

Imagem 1 – Ricardo, Priscila, José Américo e RodrigoImagem 1 – Ricardo, Priscila, José Américo e Rodrigo

O convite para a participação do professor Ricardo Plaza partiu do produtor cultural Rodrigo Pereira que é fundador do Cineclube Sambaqui. No convite, Rodrigo explicou que periodicamente o “Circo Navegador” realiza debates sobre diferentes obras cinematográficas, debates estes que são transmitidos pelo seu canal no YouTube (<https://www.youtube.com/channel/UCL6cuPyc26caN_55I110S8w>).

Imagem 2 – Rodrigo PereiraImagem 2 – Rodrigo Pereira

O Circo Navegador é uma instituição sediada em São Sebastião, no litoral norte paulista, e voltada para a divulgação e a produção de trabalhos em diversas áreas da cultura e das artes. O Circo Navegador dedica-se desde 1997 à pesquisa de linguagens e à criação e produção de espetáculos de circo e teatro. Em 2009, em turnê internacional pela América do Sul foi premiado no Festival Ibero-Americano de Teatro de Mar Del Plata e realizou diversas apresentações no Chile e na Argentina. O grupo foi reconhecido por diversos prêmios governamentais importantes em âmbito municipal, estadual e federal. Seu site é <http://circonavegador.com.br/>.

Imagem 3 - Página do Circo Navegador na InternetImagem 3 - Página do Circo Navegador na Internet

O convite para a participação do professor Ricardo Plaza neste debate também partiu, em nome do Circo Navegador, do artista Luciano Draetta, que é um dos responsáveis, junto com toda a sua equipe, pelo trabalho artístico de muita qualidade que esta instituição realiza, algo que tem se materializado como um importante serviço público prestado a toda a população do litoral norte paulista, inclusive com impactos educacionais bastante positivos resultantes das ações culturais implementadas.

A gravação em vídeo (com duração de 1 hora e 31 minutos) deste debate sobre o filme “Jango” está disponível para quaisquer interessados assistirem, no YouTube no link <https://www.youtube.com/watch?v=y7T1LuwPFrs>.

Imagem 4 - Luciano DraettaImagem 4 - Luciano Draetta

 O documentário “Jango” foi dirigido pelo cineasta Silvio Tendler, teve a narração do ator José Wilker e foi lançado em 1984. Com duração total de 1 hora e 54 minutos, esta obra é uma cinebiografia do ex-presidente Jango (João Goulart), um político de orientação trabalhista e de centro-esquerda que estando no cargo de presidente constitucional do Brasil, foi deposto pelo golpe de 1964 que estabeleceu um regime militar que vigorou durante mais de duas décadas no país. No Festival de Gramado de 1984, o filme “Jango” ganhou o prêmio Kikito de Ouro de Melhor Música Original, de autoria de Milton Nascimento e Wagner Tiso. Mais informações a respeito deste filme podem ser encontradas no site do IMDB no link <https://www.imdb.com/title/tt0296689/?ref_=fn_al_tt_2>. O excelente documentário “Jango” que tem o sugestivo slogan “Como, quando e por que se derruba um presidente" está disponível na íntegra para ser assistido gratuitamente no YouTube no link <https://www.youtube.com/watch?v=SaU6pIBv9f4>.

Imagem 5 - Cartaz de divulgação do filme JangoImagem 5 - Cartaz de divulgação do filme Jango

Durante o debate o professor Ricardo Plaza lembrou que a primeira vez que ele assistiu esse filme foi no cine Belas Artes da cidade de São Paulo, no ano da sua estreia, em 1984. Naquele ano, se iniciavam as primeiras manifestações em prol do restabelecimento das eleições diretas para presidente da República, que tinham sido suprimidas pelo golpe militar de 1964. Segundo o professor Ricardo Plaza, ao final da exibição que ele assistiu naquela época, o filme foi aplaudido de pé por toda plateia presente no cinema, o que revelava os ventos de liberdade que sopravam no país contra o autoritarismo vigente: no ano seguinte, 1985 terminaria o Regime Militar que durou 21 anos.

Imagem 6 - Ricardo PlazaImagem 6 - Ricardo Plaza

A jornalista Priscila Siqueira, autora dos livros “Genocídio dos Caiçaras” e “A Outra Face de Eva”, lembrou que a cultura é uma resistência contra qualquer governo que não seja democrático. Ela ressaltou também o fato de que o golpe que depôs o presidente constitucional Jango atendeu interesses do capital estrangeiro, mais especificamente dos Estados Unidos. Ela destacou que viveu os seus anos de juventude durante o período do regime militar e que é muito importante lutar pela preservação da democracia e da liberdade, sem desaminar com os percalços existentes, mesmo nos tempos mais obscuros.

Imagem 7 - Priscila SiqueiraImagem 7 - Priscila Siqueira

O jornalista José Américo Câmera, que trabalhou como repórter e editor em grandes redes de televisão brasileiras, como a Rede Globo, a Rede Record e a Rede Manchete, analisou aspectos da história do período anterior ao golpe de 1964, como por exemplo, a respeito do suicídio do ex-presidente Getúlio Vargas em 1954 e da renúncia do ex-presidente Jânio Quadros em 1961. José Américo lembrou também que apesar das acusações de ser “comunista”, Jango era na verdade um estancieiro (fazendeiro), proprietário de terras no Rio Grande do Sul e proveniente da elite econômica daquela região, mas que mesmo assim tinha uma visão política um pouco mais progressista, favorável à ampliação dos direitos dos trabalhadores e de políticas públicas que pudessem melhorar a vida dos mais pobres e diminuir as desigualdades sociais do Brasil.

Imagem 8 - José Américo CâmeraImagem 8 - José Américo Câmera

O professor Ricardo Plaza lembrou, durante este evento, de dois outros documentários excelentes produzidos pelo cineasta Silvio Tendler: “Utopia e Barbárie” (<https://www.youtube.com/watch?v=cn9li_NePro>) e “Privatizações: A distopia do capital” (<https://www.youtube.com/watch?v=A8As8mFaRGU>). Ao final do debate, Rodrigo solicitou que o professor Ricardo sugerisse três obras aos interessados que desejassem se aprofundar nos temas abordados pelo filme “Jango”. Em sua resposta, o professor Ricardo Plaza sugeriu as seguintes obras cinematográficas (duas delas estão disponíveis para serem assistidas gratuitamente no YouTube): o documentário “O dia que durou 21 anos” (filme disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=RVnf3Ap7guQ>), o filme “O que é isso, companheiro?” (filme disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=-VZIxXjg6pM>) e o filme “Batismo de Sangue” (trailer disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=uhBemy_vXCk>).

Imagem 9 - Ricardo, Priscila, José Américo, Rodrigo e KaueImagem 9 - Ricardo, Priscila, José Américo, Rodrigo e Kaue

Este debate para ocorrer necessitou do apoio técnico fundamental que foi fornecido por Kaue Gonçalves que é produtor cultural e cinegrafista; ele atuou nos bastidores para que este web-debate pudesse ocorrer pelo Skype e para que a sua transmissão simultânea se efetivasse pelo canal do YouTube do “Circo Navegador”.

Imagem 10 - Kaue GonçalvesImagem 10 - Kaue Gonçalves

Durante a atividade, o professor Ricardo Plaza agradeceu o convite para participar dela e lembrou também que desde 2015 até março de 2020, ele coordenou o projeto cultural de extensão “Cinedebate” no âmbito do campus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), que realizou cerca de 180 sessões envolvendo a exibição e o debate de filmes, documentários e curtas, que ocorreram, grande parte das vezes, no auditório da instituição.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira

registrado em:
Fim do conteúdo da página