Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Início
Início do conteúdo da página
“O Jogo da Imitação”

Docente do IFSP Participou de Debate Sobre o Filme “O Jogo da Imitação”

Publicado: Terça, 27 de Outubro de 2020, 14h55 | Última atualização em Terça, 27 de Outubro de 2020, 15h11

Em 23 de outubro de 2020, sexta-feira, a partir das 15h00, aconteceu, de modo virtual, uma roda de conversa sobre o filme “O Jogo da Imitação” e a história de vida do matemático Alan Turing, organizada pelo campus de Iporá do Instituto Federal Goiano (IF-Goiano). O professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira – docente do IFSP-Caraguatatuba que atualmente coordena o projeto de extensão “Atividades audiovisuais de divulgação científica e cultural mediadas pela internet – participou ativamente deste evento como convidado pelos seus organizadores.

Foto: Professores Luciana e Leonardo durante o debate acerca do filme “O Jogo da Imitação”Foto: Professores Luciana e Leonardo durante o debate acerca do filme “O Jogo da Imitação”

Esta atividade, que fez parte da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) do IF-Goiano e que foi realizada com o apoio do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação e Diversidade Sexual (NEPEDS), contou com a mediação da professora Luciana Recart Cardoso que é mestra em ciências da computação pela Universidade Federal de Santa Catarina e é docente do Instituto Federal Goiano, campus Iporá (GO), desde 2010, atuando em temas como inclusão digital e cidadania, informática na educação, interação homem-computador e engenharia de software. Foi a professora Luciana Recart quem entrou em contato previamente com o professor Ricardo Plaza, convidando-o para participar desta roda de conversa.

Foto: Professora Luciana Recart CardosoFoto: Professora Luciana Recart Cardoso

O debate contou também com a participação do professor Leonardo de Oliveira Souza que é mestre em história social pela Universidade Federal de Uberlândia e docente do Instituto Federal Goiano, campus Iporá (GO), desde 2014, atuando em temas como educação básica e superior, cultura, história, política, comunicação e pesquisa.

Foto: Professor Leonardo de Oliveira SouzaFoto: Professor Leonardo de Oliveira Souza

A roda de conversa foi iniciada com a apresentação dos participantes sendo feita por Marisa Carla Guedes Miguel que é servidora técnico-administrativa em educação no Instituto Federal Goiano, campus Iporá (GO).

Foto: Marisa Carla Guedes Miguel Apresentou os ConvidadosFoto: Marisa Carla Guedes Miguel Apresentou os Convidados

A professora Luciana iniciou o evento apresentando uma série de slides acerca do filme “O Jogo da Imitação” que é uma cinebiografia do matemático britânico Alan Turing (1912-1954) que, com seus conhecimentos, deu uma contribuição muito expressiva para a vitória dos aliados na Segunda Guerra Mundial ao conseguir descriptografar os códigos das mensagens que eram enviadas pelos alemães e com isso derrotar o regime nazista. Luciana lembrou que, após o fim da Segunda Guerra Mundial, nos anos 1950, Turing foi preso e condenado na Inglaterra devido à sua homossexualidade, tendo sido, portanto, uma vítima do preconceito de uma sociedade que na época não aceitava a diversidade; além disso, ela abordou também acerca da cultura machista que a principal personagem feminina do filme, Joan Clarke, teve que enfrentar. Finalmente, a professora destacou a importância de ampliar o debate sobre “Direitos Humanos” na área da educação, em particular no ambiente acadêmico dos Institutos Federais.

Foto: Slide Apresentado pela Professora Luciana RecartFoto: Slide Apresentado pela Professora Luciana Recart

 

Na sequência, o professor Ricardo Plaza fez uma reflexão que procurou articular a vida e a obra de Alan Turing, em particular acerca do seu artigo intitulado “Computing Machinery and Intelligence” (“Máquinas de Computação e Inteligência”) que ele publicou em 1950 na revista Mind. A primeira seção deste artigo se intitula justamente “O Jogo da Imitação” (“The Imitation Game”) e a primeira frase que aparece é “Eu procuro considerar a questão: ‘As máquinas podem pensar?’”. Este artigo está aberto e pode ser lido na sua versão original (em inglês) clicando AQUI.

Foto: Início do artigo publicado em 1950 por Alan de TuringFoto: Início do artigo publicado em 1950 por Alan de Turing

O professor Ricardo explicou acerca do denominado “teste de Turing” para decidir se uma máquina é inteligente ou não e sobre como a vida pessoal do matemático Alan Turing pode ter influído para que ele elaborasse essa sua proposta de um teste de inteligência de máquinas.

Foto: Professor Ricardo Roberto Plaza TeixeiraFoto: Professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira

 

O professor Leonardo Souza, na sequência, fez uma exposição acerca da importância de analisar diferentes épocas ou momentos históricos de modo a poder refletir acerca de avanços e retrocessos que ocorreram na história, fazendo referência, por exemplo, ao período histórico da Segunda Guerra Mundial. Em sua intervenção ele procurou contextualizar acerca de como preconceitos como a homofobia e o sexismo se manifestaram nas sociedades durante o século XX.

Os interessados que se inscreveram e assistiram a atividade pela plataforma “meet.google.com” puderam fazer perguntas aos participantes pelo chat desta ferramenta. Essas questões foram repassadas para os professores convidados que puderam respondê-las de modo, inclusive, a se aprofundar em alguns temas específicos.

A professora Luciana durante o evento explicou que teve a ideia de realizar esta ação a partir da leitura de um artigo sobre uma atividade na forma de uma aula interdisciplinar semelhante a esta ação – desenvolvida em 2019 pelo professor Ricardo Plaza e pela professora Lidiane Quinsam – envolvendo o filme “O Jogo da Imitação”, junto a alunos do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do IFSP-Caraguatatuba. Este artigo, intitulado “Docentes realizaram aula interdisciplinar sobre o filme ‘O Jogo da Imitação’”, está disponível para ser lido clicando AQUI. 

Em particular o filme “O Jogo da Imitação” pode ser assistido gratuitamente pela plataforma YouTube clicando AQUI.

O professor Ricardo ao final do evento destacou que ações culturais e educacionais interdisciplinares deste tipo contribuem de modo significativo para a formação cidadã dos alunos participantes e parabenizou os responsáveis pela organização desta atividade, destacando, em particular, o empenho da professora Luciana Recart para a viabilização desta roda de conversa.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira

registrado em:
Fim do conteúdo da página