Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Início
Início do conteúdo da página
AÇÃO DE EXTENSÃO

Ação de Extensão Debateu sobre Epistemicídio e Racismo

Publicado: Segunda, 09 de Novembro de 2020, 15h01 | Última atualização em Segunda, 09 de Novembro de 2020, 15h02

Em 07 de novembro de 2020, sábado, a partir das 18h00, ocorreu uma ação de extensão, de forma virtual, que abordou a questão do racismo e acerca da importância da cultura e da história da África na educação e debateu acerca do conceito de epistemicídio que está associado à negação da produção de conhecimentos por parte de uma parcela da humanidade. Esta ação foi organizada pela equipe de bolsistas do projeto de extensão “Atividades audiovisuais de divulgação científica e cultural mediadas pela internet” que ocorre no âmbito do campus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), sob a coordenação do professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira.

Foto: Professores e Estudantes que Debateram sobre EpistemicídioFoto: Professores e Estudantes que Debateram sobre Epistemicídio

Esta atividade contou com a participação do professor Alexandre Machado Rosa (docente da área de educação física do IFSP-Caraguatatuba), do professor Carlos Eduardo Dias Machado (docente da rede municipal de educação do município de São Paulo) e da professora Sonia Guimarães (docente de física do ITA – Instituto Tecnológico da Aeronáutica). A estes três professores que aceitaram gentilmente o convite para participar desta ação, todos os membros da equipe que a organizaram são muito gratos.

Foto: Bolsistas de Extensão Danilo, Kaue, Lais, Larissy, Sofia e ViniciusFoto: Bolsistas de Extensão Danilo, Kaue, Lais, Larissy, Sofia e Vinicius

Para a organização desta ação, ocorreu a participação ativa de bolsistas de extensão orientados pelo professor Ricardo Plaza, os estudantes universitários Lais Rodrigues Ramos, Kaue Marques Barbosa, Danilo Henrique Oliveira Souza, Vinicius Carvalho Rosa, Larissy Santos da Silva e Sofia Kaiser Sant Ana de Jesus que colaboraram decisivamente tanto no planejamento prévio deste evento, quanto para a sua execução no dia em que ele ocorreu.

A coordenação geral da realização deste evento coube à bolsista Lais Rodrigues Ramos que foi quem planejou-o e entrou em contato com os professores que foram convidados. Além dos bolsistas de extensão citados, outros bolsistas de projetos de pesquisa de iniciação científica, orientados pelo professor Ricardo Plaza, também colaboraram para a realização desta atividade.

Foto: Estudante Lais Rodrigues RamosFoto: Estudante Lais Rodrigues Ramos

Este evento acadêmico procurou refletir sobre a visão hegemônica que existe acerca da história do desenvolvimento do ser humano e que está ainda hoje excessivamente centrada numa perspectiva europeia. Deste modo, é importante entender as outras sociedades (fora do eixo Europa-Estados Unidos) que também desenvolveram, ao logo da história, conhecimentos científicos, tecnológicos, culturais e educacionais que redundaram em benefícios para as suas sociedades e para a humanidade. Abordar essas questões é fundamental nos dias de hoje, em especial no ambiente universitário, até para saber mais acerca dos conhecimentos existentes sobre a história da ciência, da tecnologia e da cultura que ocorreu entre povos da África e afrodescendentes.

Na abertura do evento, após a apresentação dos membros da equipe de organização desta atividade, foram apresentados os três professores convidados. A seguir foram exibidos dois vídeos curtos com o objetivo de expor algumas ideias básicas importantes acerca do principal tema abordado nesta ação: o epistemicídio da cultura africana, a negação da produção de conhecimentos por parte de povos africanos.

O primeiro vídeo exibido foi “Lázaro Ramos entrevista Sueli Carneiro (Programa Espelho)” de 3 minutos e disponível para ser assistido clicando aqui. Na sequência foi exibido o vídeo “Beatriz Nascimento - a história do Brasil é uma história escrita por mãos brancas” de 4 minutos e disponível para ser assistido clicando aqui.

O professor Alexandre Rosa foi o primeiro a apresentar as suas ideias acerca do tema do epistemicídio, ressaltando que este evento aconteceu em novembro que é o mês do dia da consciência negra, dia 20 de novembro, um dia de reflexão acerca das enormes desigualdades raciais e sociais ainda tão presentes em nosso país. O professor Alexandre, que é mestre em educação física pela UNICAMP, começou a sua fala abordando acerca da história do Egito antigo em especial na área da medicina e sobre como ocorreu um apagamento desta história; além disso, ele explicou também como a escravidão é brutal e desumanizadora, e como o racismo nasceu para justificar a ideia de escravidão na modernidade. O professor Alexandre tem um blog no qual debate acerca deste e de outros temas e que está disponível para ser acessado clicando aqui.

Foto: Professor Alexandre RosaFoto: Professor Alexandre Rosa

Na sequência, a apresentação do Professor Carlos Machado, que é mestre em História Social pela USP, abordou um pouco acerca de importantes inventores negros e sobre oito mulheres negras cientistas brasileiras que é importante conhecer. Ele refletiu também acerca da construção do racismo pela ciência europeia nos séculos XVIII e XIX e lembrou a importância da Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) cujo site pode ser acessado clicando aqui.

Foto: Professor Carlos MachadoFoto: Professor Carlos Machado

O professor Carlos Machado tem um blog que pode ser acessado clicando aqui. Em 2017, o professor Carlos Machado esteve no campus de São Paulo do IFSP, a convite do NEABI (O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas), quando ministrou a palestra intitulada “Ciência, Tecnologia e Inovação africana e afrodescendente” que está disponível para ser assistida clicando aqui.

Foto: Slide Apresentado pelo Professor Carlos MachadoFoto: Slide Apresentado pelo Professor Carlos Machado

Finalmente ocorreu a intervenção da professora Sonia Guimarães que é doutora na área de materiais eletrônicos pela University of Manchester - Institute Of Science And Technology, na Inglaterra. A apresentação da professora Sonia, intitulada “As minhas experiências e os desafios enfrentados na minha formação acadêmica”, procurou abordar a questão do racismo institucional tendo como um dos pontos de partida a sua própria carreira profissional.

Foto: Professora Sonia GuimarãesFoto: Professora Sonia Guimarães

A professora Sonia também citou os quilombos universitários que têm surgido nos últimos anos por estudantes que se unem e se acolhem, como o “Coletivo Negro Sonia Guimarães” dos Institutos de Física e de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, o “Coletivo Negro Simone Maia” do Instituto de Biologia da UNICAMP, o “Núcleo Ayé – Coletivo Negro” da Faculdade de Medicina da USP e o “Coletivo Negro – Escuta Preta” do Instituto de Psicologia da USP.

Foto: Slide de Abertura da Apresentação da Professora Sonia GuimarãesFoto: Slide de Abertura da Apresentação da Professora Sonia Guimarães

Ao término da atividade, antes das considerações finais dos convidados, foi apresentado o vídeo “NEGROS NA UNIVERSIDADE - RACISMO INSTITUCIONAL, EPISTEMICÍDIO E VIOLÊNCIAS SIMBÓLICAS” com duração de 10 minutos, produzido por Nátaly Neri e que está disponível para ser assistido clicando aqui.

Foto: Participantes da Atividade sobre EpistemicídioFoto: Participantes da Atividade sobre Epistemicídio

A gravação em vídeo (com duração de 2 horas e 59 minutos) desta ação se encontra disponível para quem quiser assistir na íntegra clicando aqui. Outras ações realizadas no âmbito deste projeto de extensão também foram gravadas e os seus vídeos se encontram disponíveis para serem assistidos no canal “Debate Consciência” do Youtube clicando aqui.

Foto: Slide em que a Professora Sonia Guimarães agradece a ajuda da Estudante LaisFoto: Slide em que a Professora Sonia Guimarães agradece a ajuda da Estudante Lais

 Esta foi uma ação realizada pelo projeto de extensão “Atividades audiovisuais de divulgação científica e cultural mediadas pela internet”. Este projeto foi aprovado no âmbito do edital 196 de 11 de junho de 2020 da Pró-Reitoria de Extensão do Instituto Federal de São Paulo – IFSP, referente ao “Programa Institucional de Apoio a Atividades de Extensão do IFSP – Em tempos de Distanciamento Social”, definido para o período da pandemia de COVID-19. Os recursos disponibilizados por este edital 196 permitem o financiamento de bolsas a seis alunos extensionistas selecionados para a execução das atividades previstas para este projeto, como foi o caso desta atividade. O objetivo deste projeto de extensão é colaborar para disseminar o conhecimento, a cultura, a ciência e o debate acerca de questões importantes nas vidas dos cidadãos, por meio da internet, durante a pandemia de COVID-19.

Os bolsistas extensionistas deste projeto agradecem tanto à Pró-Reitoria de Extensão do IFSP pelas bolsas fomentadas pelo edital 196, quanto às pessoas que participaram ativamente e prestigiaram este vídeo-debate, inclusive por meio da realização de perguntas e reflexões pelo chat do YouTube. Sugestões para temas das ações futuras deste projeto são bem-vindas e podem ser feitas para qualquer um dos membros da equipe.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira

registrado em:
Fim do conteúdo da página